Banda de Música de Santiago de Riba-Úl

Clique na imagem para ver o tamanho original

Batizada como a Banda mais antiga do país em exercício, a Banda de Santiago de Riba-Ul ostenta um passado glorioso a caminhar para três séculos de existência. Reconhecida de Utilidade Pública nos termos do decreto-lei nº 460/77, a coletividade encontra-se inscrita na Federação Portuguesa das coletividades de Cultura e Recreio com o nº980.

Embora não exista uma data precisa da sua fundação, presume-se a sua existência desde 1722, pelos vários registos e documentos que pertencem ao espólio da banda e que neste momento se encontram guardados por algumas entidades, tais como a Universidade de Aveiro.

Um desses registos que comprovam a antiguidade da Banda de Santiago é a partitura dedicada a sua Alteza Real, a Senhora Dona Carlota Joaquina, Princesa do Brasil, composta por António S. Leite, Mestre de Capela, natural da cidade do Porto, intitulada “Sonatas de Guitarra”.

Dos arquivos do ano de 1847 do Município de Oliveira de Azeméis, relativamente à freguesia de Santiago de Riba-Ul, transcreve-se o seguinte: “Existe n’esta frequezia uma antiga phylarmonica e orchestra, muito conhecida n’esta região e até em pontos distantes d’ella. Consta que já existia no seculo XVIII. O distincto compositor portuense Francisco Eduardo, que por vezes aqui veio, acompanhando de Manoel de Souza Carqueja, seu dedicado amigo, deixou-lhe algumas composições originaes”.

Ao longo da sua história, a Banda de Música de Santiago de Riba-Ul tem vindo a receber diversas condecorações e homenagens, pelo seu enorme valor patrimonial e artístico:
– Em 1967, foi condecorada pela Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis com a atribuição do nome da coletividade a uma rua da freguesia, altura a partir da qual passou a vigorar o topónimo: “rua da Banda de Santiago de Riba-Ul”. Curiosamente, esta mesma rua é onde está situada a sede da Banda.
– Posteriormente, voltou a ser homenageada pela Câmara com a Medalha de Mérito Municipal de Oliveira de Azeméis.
– Em 1998 foi-lhe conferido o título de Membro-Honorário da Ordem de Mérito, pelo Exmo. Sr. Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, por alvará de 2 de Outubro de 1998 publicado no Diário da República nº293 – 2ª Série de 21/12/98, por ser a Banda mais antiga do País em atividade.

No início do século XXI, foi recuperado um instrumento antigo, um rabecão, datado de meados do século XIX, sendo mais uma prova do valor histórico que a banda tem enquanto coletividade. Com o intuito de o dar a conhecer às pessoas, a sua imagem pode encontrar na sobrecapa do primeiro CD da Banda.

A Banda de Música de Santiago de Riba -Ul sempre se apresentou ao mais alto nível, fazendo-se representar em diversos espetáculos desde teatros, concertos e serviços religiosos (muitos deles interpretando composições criadas pelos próprios músicos e maestros). A Banda primava também pelo seu grupo coral que teve, através dos tempos, grandes cantoras. Merecem especial referência a amadora D. Leopoldina Pinto Basto da Costa Kopke de Carvalho, D. Maria da Assunção Ferreira de Azevedo, D. Maria Augusta da Costa Lemos, D. Elvira da Costa Marques e a consagrada Rosa das Tabuaças.” Ainda hoje a coletividade apresenta um coro composto por diversas vozes, masculinas e femininas, sendo solicitado todos os anos para os mais diversos serviços religiosos.

Um dos primeiros maestros de que há memória chamava-se Valério, que mais tarde fundou a Música Velha de Ovar. A partir dessa altura, encontra-se no historial da Banda um recheado leque de maestros: Manuel da Silva Pereira, o distinto compositor portuense Francisco Eduardo (que enriqueceu a coletividade com algumas composições originais), Manuel José de Pinho Júnior, Augusto da Silva Pereira, Armando de Pinho Dias (autor da música do hino da banda), Manuel Moreira, Júlio Carvalho Azevedo, Armindo da Silva Pinho, Joaquim Fernandes, M. Correia, Emídio Costa, António Ferreira da Silva, José Alexandre Silva Sousa, Mário Afonso Costa e Diamantino Monteiro.

Desta extensa lista, destaca-se o nome de Augusto da Silva Pereira, compositor, maestro e professor de música, aclamado pela imprensa regional da época e apelidado de “hábil rabequista” (violinista), cujos antepassados eram Santiaguenses.

Deste Outubro de 2016, essa função é desempenhada pelo Maestro Professor Tiago Soares.

Atualmente, apresenta-se com um grupo de cinquenta executantes de todas as idades, com predominância para jovens de ambos os sexos, e é solicitada para as mais diversas funções, desde concertos, encontros de bandas, concursos, até às tradicionais festas populares.

Em Dezembro de 2017, alcançou o 3º lugar com pontuação de 2º prémio na IV edição do concurso internacional de bandas CIB Filarmonia Douro. (http://bandadesantiagoribaul.com/uma-conquista-de-todos-para-todos/)

A Banda de Música possui também uma Escola de Música, coordenada pelo atual Maestro da Banda, conta com cerca de 60 alunos e tem como objetivo investir na formação dos seus alunos, para que um dia reforcem a Banda como seus executantes.

A Direção é representada pela Sra. Presidente Ana Júlia de Pinho Gomes da Costa Pinto e pelo Vice-Presidente Marcelo Soares.


Dados da Banda

Presidente: Ana Júlia de Pinho Gomes da Costa Pinto

Morada: Praça manuel José Pinto Azevedo
CP: 3720-501 Santiago de Riba-Ul
Telefone: 256 673 159 | 910 608 419
E-mail: bandamusicasantiagoderibaul@gmail.com
Website: bandadesantiagoribaul.com