Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha

Clique na imagem para ver o tamanho original

Foi fundada a 10 de agosto de 1973, pelo Reverendo Padre António Joaquim Figueira Pestana Martinho. Tem na sua essência o facto inalterável e único em Portugal de ter nascido no seio de uma paróquia. Saliente-se que ela é, ainda hoje, a única filarmónica detentora desse título. O Pároco teve a seu lado, desde a primeira hora, o professor Raúl Gomes Serrão, primeiro ensaiador e maestro, e depois o mestre José da Costa Miranda. Motivou-se os paroquianos para a aquisição dos primeiros instrumentos, que foram pagos mediante a recolha de donativos por toda a paróquia. Por ser uma banda fundada sob a égide da paróquia da Camacha foi-lhe dada o nome de S. Lourenço, padroeiro da freguesia. O estandarte da Banda Paroquial de São Lourenço tem o vermelho e o branco como cores base. O vermelho representa o sangue derramado por S. Lourenço no seu martírio. O branco, por sua vez, é o sinónimo da sua santidade. No centro vê-se a lira musical, bordada a ouro, ladeada pela grelha e pela palma. Quanto ao primeiro fardamento da coletividade, bebeu-se inspiração num quadro de trajes madeirenses pintado em 1941, de cor azul e creme, que inspirou o nosso fundador. O fardamento atual usa a cor azul e bordeau, alusivas ao nosso estandarte. Foi com esta Banda Paroquial que, pela primeira vez, na história das bandas da Ilha da Madeira, se assiste ao ingresso de mulheres nas suas fileiras. Desde a sua fundação, várias pessoas têm assegurado que esta coletividade continue e progrida, nomeadamente os maestros Fernando Eleutério Nóbrega Teixeira, José Manuel Teixeira, Lino de Gouveia Fernandes e João Ilídio Teixeira Oliveira. A Filarmónica começou por ensaiar na garagem da antiga Casa Paroquial da Camacha. Alguns anos depois, foram disponibilizadas algumas salas na Igreja Matriz. A sede atual foi inaugurada no dia 12 de Dezembro de 2001, por sua Excelência o Sr. Presidente do Governo Regional da Madeira, Dr. Alberto João Jardim, cuja construção foi financiada através de protocolo celebrado entre a Câmara Municipal de Santa Cruz e a Direção Regional de Assuntos Culturais (DRAC). Foi grande impulsionador da construção da nossa sede o Sr. Dr. José Savino dos Santos Correia, à época Presidente do Município de Santa Cruz. Nos diversos contatos com o então Pároco da Camacha, Reverendo Padre João Ferreira e os elementos directivos desta colectividade, o autarca quis verificar in loco as instalações e condições em que esta Banda desenvolvia o seu trabalho, tendo decidido mandar proceder à sua construção. Momento crucial na vida desta instituição aconteceu em 2002, por Decreto de 19 de Março, de sua Excelência Reverendíssima D. Teodoro de Faria, Bispo da Diocese do Funchal, foram aprovados os Estatutos desta associação, o que veio confirmar a existência da pessoa colectiva religiosa, BANDA PAROQUIAL DE SÃO LOURENÇO DA CAMACHA, como pessoa moral, canonicamente ereta, de harmonia com os artigos 3.º e 4.º da Concordata entre Portugal e a Santa Sé. A 10 de agosto de 2005, aquando das comemorações do 32.º aniversário, fez-se singela homenagem ao fundador desta Banda Paroquial, com a inauguração de um Busto deste na sede social da Banda, da autoria do escultor António Rodrigues. Naquele mês de agosto, o Reverendo Padre Martinho celebrava as suas Bodas de Ouro Sacerdotais e completava a proveta idade de 75 anos. No âmbito das comemorações do 33.º Aniversário, a 8 de dezembro de 2006, fez-se o lançamento do Historial da Banda Paroquial, intitulado “33 Anos de Tons e de Sons”, edição patrocinada pela dita Câmara Municipal de Santa Cruz. No 35.º Aniversário homenageou-se Luís Adelino Nóbrega Rodrigues, pelo seu trabalho, dedicação e empenho a esta filarmónica, que há muito acarinha, um pilar essencial da Banda Paroquial, o rosto dos Estatutos que regem esta Associação e o principal mentor da sede social que acolhe a coletividade. A Banda tem desenvolvido um conjunto de Intercâmbios Culturais. Assim, em setembro de 2001, deslocou-se à Vila de Fermentelos, no Concelho de Águeda, na sequência de atividade promovida com a Associação Cultural e Recreativa Banda Nova de Fermentelos e, segundo, às freguesias de Arrentela e Fernão Ferro, Concelho do Seixal. Deslocou-se a Marrazes no Continente em 2002, em Intercâmbio Musical com Banda de São Tiago de Marrazes. Em 2006 deslocou-se aos Açores, a Vila Franca do Campo, na Ilha de São Miguel, visitando a Banda União Progressista e em 2007 deslocou-se a Vila Cova do Alva, Distrito de Coimbra, Concelho de Arganil, em Intercâmbio com a Filarmónica Sociedade Flor do Alva. Em 2008 dinamizou um Intercâmbio Cultural com a Sociedade Musical Euterpe, de Portalegre. Em 2010 visitou a Banda Academia de Santa Cecília, de São Romão, Concelho de Seia, Distrito da Guarda. Em 2010 editou o seu primeiro CD intitulado “Compassos”, edição que teve como mecenas o Sr. Michael John Blandy, do GRUPO BLANDY, que garantiu o patrocínio exclusivo do trabalho discográfico. Já em 2012 lançou o seu primeiro DVD com a titulação “Som da Nossa História”, trabalho audiovisual patrocinado na totalidade por dois emigrantes camachenses radicados na África do Sul, os senhores José Egídio e Manuel Humberto da família Cardoso, naturais da vila da Camacha. Desde a sua fundação, esta associação desenvolve um papel importante na Vila da Camacha, cativando os jovens e menos jovens para o salutar gosto pela música e pela arte musical. Hoje alicerça um projecto numa Escola de Música ativa e dinâmica, em plena atividade, garantindo o futuro, a continuidade de naipes e fileiras de novos músicos. Actualmente a Direção artística da Banda está a cargo do Maestro Paulo Pleno.


Dados da Banda

Morada: Caminho do Moinho, nº. 2
CP: 9135-040 CAMACHA - MADEIRA
Telefone: e Faxe: 291 922684
E-mail: bandaparoquial@gmail.com
Website: http://bandacamacha.com.sapo.pt