Ascendino Silva, nasceu em Ovar a 16.10.1980.
Iniciou os seus estudos musicais aos 8 anos, na Banda Filarmónica Ovarense, em clarinete, passando a integrar o corpo musical em dezembro de 1989.
Em 1993 ingressa no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Aveiro, na Classe de Clarinete, tendo prosseguido os seus estudos na Academia de Música do Orfeão de Ovar, e posteriormente no Conservatório de Música de Vila Nova de Gaia, tendo trabalhado com os Professores Nelson Aguiar, Fernando Rainho, Arménio Pinto, Isabel Silva, Manuel Carvalho e Luís Silva.
É Licenciado e Pós-Graduado em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia do Trabalho, pelo Instituto Superior de Línguas e Administração, e Mestrando em Gestão de Recursos Humanos no Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia.
No âmbito do sistema de ensino Yamaha Classband, do qual é Professor Certificado desde 2012, a convite da Junta de Freguesia de Maceda, implementou o referido sistema de ensino, o qual deu origem à atual Orquestra de Sopros de Maceda, da qual é Diretor Artístico e Maestro.
Frequentou diversos Estágios, Workshops e Masterclass, onde teve a possibilidade de trabalhar com vários Professores e Maestros, destacando-se o Curso Internacional para jovens músicos promovido pelo INATEL em 1997 na cidade de Viseu, onde trabalhou com os Professores e Maestros José Monteiro, Agostinho Caineta, Tristão Nogueira, Fátima Juvandes, Luís Rego e Paulo Lameiro, entre outros.
Em 2000 foi um dos fundadores da Orquestra Ligeira da Banda Ovarense, desempenhando desde então as funções de Maestro.
Em 2003 ingressou na Policia de Segurança Pública, tendo posteriormente integrado a Banda da PSP do Comando Metropolitano do Porto, onde desempenhou as funções de Clarinetista até 2014.
Por convite da Direção, em agosto de 2011, iniciou as funções de Diretor Artístico e Maestro da Banda Filarmónica Ovarense (BFO), tendo dirigido várias performances musicais, onde se destacam “Filarmónica Extravagante”, com os UXU KALHUS, as aberturas do carnaval de Ovar de 2014 a 2017, com o Maestro Tim Steiner e Ricardo Batista, numa coprodução Onda Amarela e Câmara Municipal de Ovar; e com a ACERT – Associação Cultural e Recreativa de Tondela, sob a Direção Artística do Ator Pompeu José.
Ainda na qualidade de Diretor Artístico e Maestro da BFO, destaca-se o projeto artístico D’Ovar Pr’Ovar, do qual foi o mentor, tendo assumido todo o processo criativo e produtivo, resultando em varridíssimas parcerias com músicos, artistas e Associações, numa fusão com a Banda, sendo de realçar as participações do Tenor Sérgio Sousa Martins, o Pianista Miguel Silva, os Trompetistas Manuel Luís Azevedo e Jorge Almeida, a Fadista Patrícia Costa.
Em 2015, foi o mentor do projeto BASS PHILHARMONIC OWARENSE, numa fusão BFO e o coletivo de DJ’s Owar Bass Warriors, tendo tido a sua apresentação em 24 de julho de 2015.
Foi ainda mentor de produções como “Despique”, numa fusão entre a BFO e o agrupamento “Pevides de Cabaça”, numa performance construída de raiz em parceria com o Compositor e Arranjador Rui Lima.
Foi Diretor Pedagógico da Escola de Música da Banda Filarmónica Ovarense de 2010 a 2018, tendo sido responsável pela implementação de todo o processo administrativo, inexistentes até então, bem como pela criação de conteúdos programáticos no âmbito das classes lecionadas. De referir, que na área financeira, entre 2015 e 2018, foi responsável pela autossustentabilidade da Escola, invertendo assim os consecutivos resultados negativos até então.
Atualmente, além de Professor, é Diretor Artístico e Maestro da Banda Sinfónica de Ovar e da Orquestra de Sopros de Maceda, acumulando com as funções de Diretor Pedagógico da Fusa – Academia de Música e da Classband Maceda.

Maestro na Banda: